Mensagem do Provedor

miguel-ferraz-foto

Bem-vindos à Santa Casa da Misericórdia da Feira que a todos quer abrir as portas!

É muito velha a nossa Misericórdia, é mesmo anterior a 1579, portanto das mais antigas de Portugal. Mas ao longo do século XIX perdeu todos os seus bens materiais para além da Igreja.

Durante o século XX, esta Santa Casa esteve essencialmente votada a missões assistenciais e em prol da comunidade feirense. As carências sociais agravadas pelas duas guerras mundiais fizeram com que a prioridade fosse o apoio aos doentes, aos mais pobres e aos presos. Na década de 40, instalou-se o dispensário antituberculoso, construiu-se o bairro da Misericórdia, criou-se o “abrigo dos pequeninos” (o primeiro infantário de Santa Maria da Feira), organizou-se um sistema para distribuição alimentar aos mais carenciados, e organizou-se também o apoio social aos presos da cadeia local.

A partir da década de 70, um novo enquadramento social tornou possível que essas missões assistenciais passassem a ser promovidas por Instituições Públicas, pelo que a ação foi diversificada.

A Santa Casa da Misericórdia da Feira teve um papel de relevo na dinamização para a construção do Hospital de S. Sebastião; essa dinamização tornou-se mais intensiva a partir do final da década de 70, tendo sido um objetivo fulcral da sua ação, que se materializou através da doação da maior parte dos terrenos onde o hospital hoje está construído.   

Na década de 90, foi criada a unidade de rastreio do cancro da mama e a Universidade Sénior de Santa Maria da Feira.

Em julho de 2008 o Lar de S. Nicolau abriu as suas portas para dar resposta às necessidades dos mais idosos, disponibilizando atualmente de Lar, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário. Quereremos melhorar a qualidade do serviço que prestamos e alargá-lo a muito mais gente. Queremos prestar um serviço de referência e excelência. Para isso estamos a percorrer o caminho para a certificação desse serviço.

Em mãos temos um grande projeto para recuperar e reabilitar a Igreja, compartimentos anexos e espaços exteriores envolventes, para que possam ser cumpridas essencialmente quatro missões: i) culto religioso; ii) criação de um percurso museológico; iii) abertura à comunidade para realização de atividades culturais; e iv) abertura à comunidade para realização de atividades de formação (essencialmente ligadas ao restauro de arte sacra, à gastronomia e à criação de rotas turísticas locais e regionais).

Fará parte do nosso futuro próximo o apoio à criação de atividades sociais que gerem emprego e que integrem os que têm mais dificuldades em se integrarem no trabalho.

Queremos vir a instalar uma unidade de tratamentos continuados e paliativos.

Queremos dignamente projetar-nos no futuro e fazer parte da vida e da história de Santa Maria da Feira!

Em nome da Mesa Administrativa e dos restantes Órgãos Sociais, quero prometer que tudo farei para ajudar a resolver os problemas de todos os que nos baterem à porta!

O Provedor
assinatura-para-site